Caverna do Lobo Sioux - UOL Blog

 

O xamanismo é um tema ou tópico que apaixona, um fenômeno no qual todos nós gostaríamos de conhecer como se fosse uma ciência exata, mas isto não é possível, os xamãs verdadeiros afirmam que eles somente são os atores neste vasto e insondável infinito. A maioria de nós, que não tem a oportunidade de conhecer um xamã que manipula essas técnicas e a graça de aprender com eles, nos conformamos em conhecer os conceitos e idéias que nos foram passadas em livros, dentro dessa perspectiva alcançam também certas experiências por conta própria, mas que não têm uma base ou a ajuda necessária para realizar essas técnicas, não podemos executa-las ou aprofundar nesses estudos. Para clarificar isso, pretendemos com esta página não revelar uma verdade absoluta, mas compartilhar ensinos ancestrais e acima de tudo, encorajar as pessoas interessadas pelo xamanismo a terem suas próprias experiências. Longe de apresentar uma idéia romântica, visamos olhar a praticidade e a veracidade acima de tudo.


É uma ARTE tão antiga como a vida. No Período Paleolítico, quando os homens ainda moravam em cavernas cercadas de feras, eles viviam com medo de tudo. Mas, ao observarem o ciclo da natureza e suas manifestações, refletiram sobre sua relação com o Universo, e, sem saber, estabeleceram uma ponte com o macrocosmo, traçando um fio que nunca mais iria se romper. Durante algum tempo as práticas xamânicas encontraram-se adormecidas, mas voltaram a despertar a atenção dos homens modernos, independentes de seu estágio cultural ou do fato de viverem na selva de pedra urbana cercados de racionalidade, coisa que não existia quando os nossos antepassados se reuniram pela primeira vez ao redor de uma fogueira. Capazes de elevar a consciência para estados de êxtase desconhecidos para o homem comum e de ser relacionar com outras realidades, os xamãs são seres privilegiados por viverem entre o mundo material e o Reino invisível dos espíritos. Hoje, numerosos doutores e psicoterapeutas defendem e utilizam as técnicas ancestrais para atingir outras realidades, para a cura efetiva no tratamento de certas desordens do corpo e da alma. A bibliografia sobre xamanismo foi ampliada nestes últimos anos. Porém, apesar disto, continua a ocorrer equívocos ao definirem os xamãs como feiticeiros, videntes, curandeiros, médiuns e outros intermediários das coisas sagradas. Mas, o que é realmente o xamanismo? Quem pode ser chamado de xamã?
A melhor definição talvez tenha sido a que Mircea Eliade deu, de que o xamã é alguém capaz abandonar seu corpo, e viajar entre os mundos. O conhecimento adquirido nessas viagens com os habitantes de diferentes realidades, entre outras coisas, qualificam o xamã a manter o bem-estar e a cura para eles próprios e para os membros de suas comunidades. Mas é essa facilidade deles de realizarem essas viagens extáticas, que define o xamã como "Aquele que voa". Então, o xamanismo é -a técnica do êxtase -, um conjunto de procedimentos para exercitar o controle do vôo mágico. Não é um culto, mas um conjunto de práticas e técnicas, antigas como o ser humano, e que usa o simbolismo de cada cultura das pessoas que as praticam. Mas debaixo daqueles símbolos as mesmas forças e os mesmos elementos estão agindo no insondável infinito, possibilitando aos indivíduos aprenderem conscientemente a transpor o aparente abismo existente entre o mundo físico e as esferas da imaginação e da visão.

A nossa gratidão para a Mãe Terra que navega segura no dia e na noite e para o seu rico, raro e doce solo.
Que seja assim nos nossos pensamentos.
A nossa gratidão para as plantas, para as folhas de colorido mutante e para as raízes sinuosas que permanecem quietas no vento e na chuva ou dançam na ondulação espiralada das sementes.
Que seja assim nos nossos pensamentos.
Gratidão para o ar que sustenta a suave andorinha e a silenciosa coruja ao amanhecer de um novo dia, como o sopro das canções e a brisa do claro espírito.
Que seja assim nos nossos pensamentos.
A nossa gratidão para os seres selvagens que são também nossos irmãos, que nos ensinam os mistérios e os caminhos da liberdade e compartilham conosco das suas vidas, com coragem e beleza. Que seja assim nos nossos pensamentos.
A nossa gratidão para a água das nuvens, dos lagos, dos rios e das geleiras, cristalizada ou liquefeita, fluindo alegre através de nossos corpos as suas marés salgadas.
Que seja assim nos nossos pensamentos.
A nossa gratidão para o sol que nos acorda ao amanhecer, luz que pode cegar, brilho que pulsa através dos troncos das árvores, clareia as neblinas e tremeluz nas frutas quentes onde dormem os ursos e as serpentes.
Que seja assim nos nossos pensamentos.
A nossa gratidão ao Grande Céu que guarda em si bilhões de estrelas e que vai além de todos os pensamentos e poderes e, no entanto faz parte de nós, avó, espaço, a mente é a sua companheira. Que seja assim nos nossos pensamentos.

Que meus inimigos sejam fortes e bravos para que eu não sinta remorso ao derrotá-los (Provérbio Sioux - Clã dos Lobos)

                                              

Somos tão doentes quanto nossos segredos.
Quando o ego assume o controle de uma vida, a mente fica doente.
Quando machucamos as pessoas, nossa mente sempre arruma uma justificativa para nossos atos.
A mente racionalizará uma desculpa que "justifique" o que estamos fazendo.
Grande Espírito, me mostre o que é viver com o coração aberto.
Me ensine a entender que estar vulnerável é uma força, não um defeito, uma fraqueza.
Me ensine a saber viver o poder que vem do coração.
Me ensine a me abrir e ficar disponível para a verdade.
Se eu entrar na discórdia, deixe-me ouvir o som que vem da Sua direção. Que eu decida mais com o coração e que minha mente aceite essa decisão
.

                 


 
 

"Há cerca de sessenta mil anos atrás, no início do Quarto Mundo que representa o Mundo da Separação (na visão nativa-americana), a polarização de todas as nações, credos e raças devastou os Filhos da Mãe Terra. No processo de socialização fomos educados para suspeitar dos outros e menosprezar outros costumes e atitudes devido à ameaça que eles representam para nosso próprio sistema de crenças (não importa de que raça sejamos ou culto nos dediquemos). Como uma Família Universal, há muito nos esquecemos de que este tipo de comportamento precisa ser modificado. Se nos esquecermos de orar pelo amor e pela paz nos corações de todas as raças, nações e credos, destruiremos a intenção pura de nossa orações e louvores."

Canção da Meia-Noite (Xamã Sêneca do Clã do Lobo)




[ ver mensagens anteriores ]



Meu Perfil
BRASIL, Sudeste, SAO PAULO, BELA VISTA, Homem, de 36 a 45 anos, Portuguese, English, Informática e Internet, Informática e Internet, internet
MSN - arthurmalavolta@hotmail.com